20/11/2015

Ela segue.
Linha reta na consolação.
Baldeação verde-amarela.
Desconfia de muitos, se envergonha com alguns, aprecia poucos.
Na esteira para.
Segue lentamente buscando inspiração.
Veste um macacão colorido verde estampas, 40 reais na Avenida Paulista, próximo à Brigadeiro. Passavam cartão no meio da rua!

Segue o fluxo pés-pensamento.

Embarque Butantã. Desistira de pegar o ônibus no Terminal Pinheiros.
Queria viver o dia. Talvez o trajeto até a Lilás resultasse bons pensamentos. Ninguém a vê. Mentira. Ninguém a enxerga.

Nas costas uma mochila carregada com roupas de dois dias calcinha sutiã caderno de anotações caneta preta caneta azul marca texto amarelo neon carteira porta cartão bilhete único de estudante (por volta de uns 5 reais, nem isso) cartão Santander conta universitária bolo marca x enrolado no guardanapo milagre vários lugares no metrô pílula anticoncepcional na sacola da mochila lenço umedecido o.b demaquilante na bolsa azul da mochila maquiagem pó base rímel rímel a prova d’água delineador sombra blush três pincéis peça de teatro daqui quantos dias? CALENDÁRIO! Perdi as contas, pera, quanto? Ah. 24 dias. Pera, QUANTO? VINTE E QUATRO DIAS cílios postiços meu Deus, pinheiros.

Tantas escadas rolantes. Pela primeira vez resolve contar. Cinco andares de escada rolante. Cinco andares de escada normal. Escolha errada, perder uns quilinhos ia bem. Alguma coisa pinica sua bunda. Talvez um garfo, um lápis que ficou no fundo da mala, tirar tudo de dentro pra checar? Nem pensar. Pensou?

Um cara. Blusa branca, calça bege, tênis amarelo neon, parado na escada rolante ao lado, não para de olhar. Ele não para de olhar. Ela sabe que não tá cagada. Pelo menos ela… Ele NÃO PARA DE OLHAR. O homem, tênis amarelo, parado sentido estação Osasco. Ela desce a escada rolante da CPTM entra no trem sentido Grajaú. O homem, tênis amarelo, vai até a porta do trem sentido estação Grajaú. Ele NÃO PARA de me olhar. Ela encara. O homem, tênis amarelo, volta-se novamente à plataforma sentido estação Osasco.

Respiração profunda……………….
Desconfia de muitos, se envergonha de alguns, já não aprecia nenhum.

Tietê em suas narinas, vista, mente.
A CPTM informa os assentos com indicação, são de uso preferencial, respeite esse direito. Estação Berrine, desembarque pelo lado esquerdo do trem. Boa tarde, pessoal! Leva 30 agulhas é um real.

Hálito de café, dor nas têmporas.
Ela sabe que não é Luiz Ruffato. Ou será que é?

Tumtumtumtumtumtumtumtum. Abrem. Tumtumtumtumtumtumtumtum. Fecham.
Ô Lucas. Já guarda as coisas aí. Vixi. Acabaram de pegar o cara da agulha ali no outro vagão. Acho que vão me pegar também. Ô pessoal, vou fazer uma coisa que eu nunca fiz antes aqui. Leva pen drive por R$10,00. Acho que já me viram também.

“São Paulo é identificação absoluta. Sou eu.”

São Paulo, sou eu.

Somente ultrapasse a faixa amarela quando o trem abrir as portas. Não arrisque sua vida. Ar condicionado abafado dor de garganta.
Você não está sozinha, abuso sexual é crime…
Terminal João Dias.
Melhor guardar o celular, senão… São Paulo.
Se não São Paulo?

-gm

Advertisements