Noites frias.

Se enrosca,
se enlaça,
se amassa,
se torce nos braços.

Se perde,
se envolve,
então voa,
mas logo se acha.

Te aperta,
te sente,
te enxerga
e aumenta o desejo.

Ele a vira,
ela inspira,
a revira,
expira,
e o corpo mistura,
se admira,
contrai
e suspira.

Desmontados,
risos que beijam abraçando a memória dos minutos de insanidade passados.

Na cama nudez sem pudores.

No corpo reações momentâneas, incontroláveis.

Na carne marcas inapagáveis.

No espiritual agradecimentos e pedidos pela troca eterna.

Na alma um alívio do finalmente encontrar.

Nos olhos gotas de amor espontâneas.

Na boca um sorriso de nunca mais se apagar.

E sono rápido, profundo… sem nem uma só cobrança para despertar.
-gm

Advertisements